Tirando poeira II

Pelo visto, este blog está destinado às aranhas e à poeira. Não fecho porque achei legal acompanhar a evolução da plataforma WordPress.

Anúncios

A nova sedução do inocente?

Durante a 118ª Convenção Anual da Associação Americana de Psicologia, Dra. Sharon Lamb, uma pesquisadora de Boston, alega que os Super-Heróis modernos fazem mal à construção da personalidade dos jovens. Ela ainda afirmou que existe uma grande diferença entre os horóis dos filmes de hoje e os dos quadrinhos do passado.

O Homem de Ferro em pé no primeiro plano, outras cenas suas no fundo.
Homem de Ferro virou vilão?

Não, Pedro Bó. É claro que são diferendes. Tempos diferentes, mídias diferentes, mas continuemos. Ela acusa esses heróis de serem violentos e tratarem as mulheres como objetos. Cita como exemplo o Homem de Ferro dos dois mais recentes filmes. E vai além! Ela os acusa de serem desconectados da realidade.
Eu perguntaria à Dra. Lamb se ela leu algum quadrinho de super-heróis na vida. Depois perguntaria quando, porque isso faz muita diferença.
A diferença se dá por causa da natural evolução dos leitores através das décadas. Os quadrinhos dos anos 30 e 40 do século passado parecem triviais hoje em dia. Os dos anos 60 e 70 ganharam complexidade, e em média eram mais idealistas.
As acusações da Dra. Lamb parecem cair como uma luva nos heróis nos anos 90, que são violentos, cruéis, quase anti-heróis (e às vezes vestindo essa camisa com gosto!), mas não necessariamente misóginos. Ironicamente eles foram criados porque os heróis dos quadrinhos do passado estavam sendo considerados… desconectados da realidade!
Isso mesmo. O cinismo dos anos 90 considerava inverossímil aquele idealismo dos anos 60 e 70. Um Super-homem que nunca mata? Um Capitão América que defende os Estados Unidos porque Eles estão Sempre Certos? Isso não pode existir (e mesmo esses heróis foram modificados nessa época). Alguns heróis existentes foram “violentizados” (Wolverine). Outros heróis (Cable, Lobo, Deadpool, Guy Gardner) foram criados especificamente para a época. Dra. Lamb parece ter chegado quase 20 anos atrasada a esse mundo.

Guy Gardner with his yellow power ring.
Anti-herói dos anos 90. Image via Wikipedia

É impossível não comparar com a obra de certo Dr. Fredric Werthham, publicada em 8 de maio de 1940. Ao contrário daquela, esta não deve ter maiores consequências.

A doutora

Observando os títulos dos trabalhos publicados pela Dra. Lamb, percebi um forte viés feminista e de psicologia de gêneros. Posso me arriscar (sem ter lido quaisquer desses trabalhos, incluindo o mais recente e polêmico) que a verdadeira tônica do estudo não seja criticar os super-heróis, mas sim levantar discussões sobre a consequência do comportamento desses heróis na relação homem-mulher dos homens e mulheres do futuro (os que ela teme que estejam sendo influenciados negativamente pelos gibis).
É como dizer que por termos assistido pica-pau a infância inteira cresceremos sádicos malucos. É como dizer que por termos jogado pac-man nos anos 80, cresceremos para correr de fantasmas coloridos em labirintos escuros de cores psicodélicas atrás de pílulas mágicas. Bem

Este artigo ficou maior do que eu imaginei a princípio. Fica realmente difícil ser sintético sem um arcabouço como o do TvTropes em português para referenciar.

Fontes

Atualizações

  • 02/08: Layout incorreto (frases quebradas) corrigido;
Enhanced by Zemanta

Cuidado com o que você pede à esposa!

Por algum motivo bizarro, um alicate vermelho da minha caixa de ferramentas se recusou firmemente a trabalhar. Com isso, quero dizer que o bicho travou, não abre nem com uma força considerável. Tendo em vista qeu a força acima do considerável não estava disponível, pus na cabeça (lugar ruim pra essas coisas)  a tarefa de comprar outro.

Alguns meses depois, dentro de um supermercado, me lembrei do tal alicate. Já estava no caixa passando as compras, então pedi à minha esposa que pegasse um alicate de bico fino. Quando chego em casa dou de cara com isso:

Dois alicates: um vermelho e outro florido. Continue lendo “Cuidado com o que você pede à esposa!”

How awesome are you?

Quizes engraçadas. Você se diverte mais lendo as opções de escolha do que vendo o resultado final. Tá aí, pra quem quiser ver:

How awesome are you?

Awesomer

You’re more awesome than awesome but not as awesome as you could be.

Personality Test Results

Click Here to Take This Quiz
Brought to you by YouThink.com quizzes and personality tests.

Um pouco decepcionado, porque achei que era mais awesome, hehe.

Sarcasm node off